A revista Caju começa no mês de setembro a Caju Cursos, que nasce em parceria com o espaço de coworking Lab71, em Botafogo. Os cursos são apenas uma das iniciativas “no mundo real” da publicação digital, que pretende ser uma plataforma para circulação de ideias, mas também para a realização de projetos nas áreas de arte, cultura, pensamento e criatividade. Entre os quatro cursos de setembro, com curadoria da equipe da Caju, há ofertas nas áreas de história da arte, literatura, música e histórias em quadrinhos, e os responsáveis pelas aulas são sempre professores especializados em cada assunto. Todas as aulas acontecem à noite, das 19h às 22h, com um intervalo de meia hora para confraternização e café.

História da arte

Com a aula inaugural no dia 12 de setembro e um total de quatro encontros às segundas-feiras, a curadora Daniela Name e a pesquisadora de arte Fernanda Bastos apresentam o curso Outras percepções – Arte, ciência e as mudanças de pensamento no século XIX.  A pintura de artistas como Caspar David Friedrich, William Turner, Édoard Manet, Georges Seurat e Paulo Gauguin, entre outros artistas, será apresentada ao lado dos pioneiros da fotografia e do cinema. Suas obras conduzem uma análise genealógica da sociedade, da ciência e de características socio-culturais do período. Arte, moda, os primeiros passos da psicanálise e os dispositivos do primeiro cinema e da primeira fotografia atravessam e são atravessados pelo crescimento das cidades, pela industrialização e as formas de controle e de otimização de rendimento do corpo. Saiba mais aqui.

Música com Leonardo Lichote

LEONARDO LICHOTE: de Marisa Monte ao funk, passando por Los Hermanos

LEONARDO LICHOTE: de Marisa Monte ao funk, passando por Los Hermanos

Já o jornalista e crítico musical Leonardo Lichote ministra Canção brasileira dos 2000 – Das torres de Marisa às bombas de Bin Laden. Com início no dia 13 de setembro e quatro encontros às terças-feiras, o curso mostra a diversidade musical de bandas que despontaram nas várias regiões do país, com audição de suas músicas e debate de seus repertórios. Já na aula de estreia, Lichote traça uma linha de renovação da música brasileira, que começa com o que ele chama de “um viés-intelectual-universitário-classe média”.  Representam isso + 2, Los Hermanos, os paulistas do Studio SP, os mineiros do Graveolam, além de Banda Cê, de Caetano Veloso, e o “Recanto” de Gal Costa. Saiba mais aqui.

História em quadrinhos

O jornalista Paulo Ferreira apresenta História e semiologia da linguagem dos quadrinhos, que começa no dia 14 de setembro e tem duração de quatro encontros às quartas-feiras. A primeira HQ moderna foi criada pelo artista americano Richard Outcault, em 1895, mas é claro que este formato original não lhe ocorreu de uma hora para outra. Se buscarmos as primeiras raízes das HQs, podemos chegar às pinturas rupestres feitas pelos homens pré-históricos, que serviam para contar como eram suas aventuras nas caçadas. Atualmente, as HQs são popularizadas como fonte de roteiros adaptados para o cinema, sobretudo nos EUA. Ferreira, que é jurado do festival Anima Mundi, passará pela produção norte-americana, europeia, brasileira e asiática e ainda discutirá as adaptações para o cinema, teatro e literatura. Saiba mais aqui.

ROBERTO BOLAÑO: no curso de Guitiérrez

ROBERTO BOLAÑO: destaque de Guitiérrez

Literatura hispano-americana

O escritor, crítico literário e doutor em estudos de literatura Rafael Gutiérrez analisa e discute as características mais importantes da “Literatura hispano-americana contemporânea”, através da leitura de alguns dos escritores mais representativos dos últimos anos, como o chileno Roberto Bolaño, o colombiano Fernando Vallejo, o argentino César Aira e o mexicano Mario Bellatín. As aulas começam no dia 15 de setembro e acontecem em quatro encontros às quintas-feiras. Saiba mais aqui.

+++

Ficou com vontade de se inscrever? Quer maiores informações? Escreva para cursos@revistacaju.com.br ou ligue para (21) 99315-1324 (das 10h às 19h).  Os valores de investimento e maiores detalhes também pode ser vistos aqui.