A Serra não é só lugar para refúgio. Mas só depois de trocar o Rio por Nova Friburgo percebi isso. Como, sendo de Comunicação, voltar para casa, no interior, distante do burburinho de onde tudo acontece, carregando acervos e repertórios que uma cidade menor poderia não conter? Como, depois de tantos anos passados no Rio, pensar que Nova Friburgo poderia oferecer espaço… produzir inovação?

Pois chego eu, com a trouxinha na mão, pensando que reinventar a vida aqui no interior do Rio seria tarefa hercúlea para muitos setores do meu mundinho. Ah, eu poderia esquecer o jornalismo, a paixão pela música, pelas artes, a geração de conteúdo, a comunicação e tantas outras coisas e começar a vender uns bolos, uns molhos… Abrir um restaurante? Vender miçanga.


Território empreendedor

Bem, pois passam uns meses e Abre los ojos (como no filme espanhol, que serviu de inspiração para o remake Vanilla Sky, em que sonho e despertar se confundem). Que texto lindo da colunista Ana Blue , uma escritora das boas, para inspirar leitores, escrevendo no jornal local. Abre los ojos. Nova Friburgo tem um polo audiovisual configurado desde o final de 2015, subsidiado pela concessionária de energia elétrica que fomentou a criação de um polo irmão em Cataguases (MG). Fazer cinema na cidade? Atrair produções? Cineastas subindo a Serra para conhecer espaços, pessoas e o fazer local. Serra Ação. Abre los ojos.

Nova Friburgo tem muitas produtoras de TV gerando conteúdo local. A cidade tem três TVs locais com estúdios e programação que espantam quem as conhece. Várias agências de publicidade com uma galera antenada nas tendências, qualidade e produção. Abre los ojos.

instituto pindorama

Friburgo com um escopo cada vez mais consistente na produção, circulação e consumo de alimentos e cultura orgânica. Abre los Ojos. Conhece o Instituto Pindorama? Reúne um grupo de terapeutas, permacultores, arquitetos, agrônomos, pedagogos e voluntários envolvidos com a sustentabilidade e a permacultura, que dentre tantas atividades, produzem móveis e construções utilizando bambu (veja a foto acima) e já são referência internacional. Ainda na área de permacultura, a região, mais precisamente a cidade vizinha de Bom Jardim, abriga o Tibá, bioarquitetura, com construção inovadora e sustentável em adobe. Atrai gente do mundo inteiro. Abre los ojos.

rippadesign3

Sabe aqueles móveis lindos, marcenaria da Ripa Design (veja a foto acima, dos bancos em formato de cubo, e a que abre o texto, dos puxadores de madeira), com reaproveitamento de madeira, desenho contemporâneo, que estão expostos nas lojas conceituais e conceituadas do Museu de Arte Moderna (MAM) e do Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR)? São daqui. Abre los ojos. Sabe aquele médoto de sistemas colaborativos e criativos, o Dragon Dreaming, que está começando a circular com mais força no país? Tem um grupo consistente aqui, que se reúne e está em interlocução com outros grupos dentro e fora do Brasil. Abre los ojos.

E aquelas botinhas lindas, de couro e reaproveitamento de pneu que fazem sucesso nas feiras hypes cariocas, Do Caíque? São daqui também. Abre los ojos. Lei de incentivo para produção de cerveja artesanal? Temos. E quantas novas cervejas, hein? W Kattz, RockValley, Barão… Boteco com chope e rodada dupla de cerveja artesanal. Que maravilha, gente! Abre los ojos. E por falar em olhos, esse seu óculos, que lindos, de madeira? Foram caros, comprou onde? Em Friburgo. Fabricação própria, preço excelente. Muita coisa acontecendo em arte, design, arquitetura, empreendedorismo. Muita coisa para fazer. Quanta novidade. Inovação. Saca? Eu achando que ia descobrir a Índia, os índios… sim, gente, muito preconceito, muita falta de informação e aproximação de uma região que fica a duas horas do Rio.

Descobri o Brasil!

E agora abriu aquela casa… Já tinha ouvido falar. Acho que vou lá. Tem uma casa no centro da cidade, Casa Eliza Vidal. Vou lá dar uma espiada. Será que é o que estou pensando? Espaço de coworking? Jura? Vou achar meus iguais. Será? Sim. Achei! E a Casa Eliza Vidal, enfim, acolhe e promove o Conectivos. Observar todo esse terreno propício foi o que motivou a criação do Conectivos, uma curadoria de conteúdo. Já organizamos feiras com designers locais, abrimos uma agenda de cursos livres no centro de Nova Friburgo, em junho. A proposta foi pensada nos moldes de centros de conhecimento e trocas de saber e oferece mensalmente oficinas, cursos, workshops e palestras. E agora em outubro estamos produzindo a primeira Festa Literária de Nova Friburgo (Flinf), com mesas de debate, saraus de poesia, contações de história e especialistas dos mais diferentes setores ligados ao livro trocando experiências. Zuenir Ventura vem falar. Luis Fernando Verissimo confirmou presença.

A ideia é cobrir, passar pelas áreas de arte e cultura, educação e filosofia, comportamento e tendência e sustentabilidade. Fazer uma seleção de tudo que há por aí e é ofertado e colocar pessoas, ideias, saberes e espaços em conexão. Muita gente trocando e subindo a Serra. Ideias ululando e muita coisa em vista, como o Festival de Sustentabilidade e o Simpósio Latino Americano de Sustentabilidade e Bioarquitetura, Encontros de inovadores…Enfim, estou eu aqui na Serra, produzindo, fazendo o que sonhava e avançado até para a capital. É isso. Só vindo conhecer, pois quem dá luz a cego é bengala branca de Santa Luzia. Até logo aqui. A duas horinhas do Rio.