Ismael Monticelli, Adriano Guimarães e Fernando Guimarães realizaram, entre fevereiro e o início de abril, o Projeto Monumento, uma intervenção na marquise da Funarte que fazia uma reflexão sobre os vínculos do Distrito Federal com o carro, a velocidade e, como sugere o título do trabalho, com noção de monumento. Dentro da proposta que norteia a Caju desde o seu nascimento, a revista publica, dentro de sua seção Caju Arquivo, os dois textos frutos do acompanhamento crítico, escritos por Daniela Name e Marília Panitz, e um ensaio fotográfico de Joana França (abaixo). Com isso, oferecemos aos leitores a oportunidade de degustar uma espécie de versão virtual do catálogo. O conteúdo do Projeto Monumento também integra o eixo temático da Caju esse mês, sobre a aceleração e o trânsito nas cidades, que também teve ensaio histórico de Gianne Chagastelles sobre o bonde e o automóvel na Era Vargas (leia aqui) e playlist de Analu Cunha com trabalhos em videoarte que tangenciam o assunto (veja aqui).

O Projeto Monumento também teve uma outra vida nas redes sociais, com uma coleção de imagens de outros artistas que trabalharam com carros postadas no Facebook e no Instagram. Clique aqui para saber mais.

 

Momento, memento, monumento, movimento – Marília Panitz

Clique aqui para ler

 

O que não fiz vira sonho – Daniela Name

Clique aqui para ler

 

Este slideshow necessita de JavaScript.