Zuada é uma intervenção literária e sonora de Katia Maciel que faz parte de Plural – A Caju encontra a Aymoré, ocupação que reúne ainda 4 individuais, um programa de performances e 3 programas de videoarte a partir de uma ocupação da Revista Caju na Galeria Aymoré, na Villa Aymoré, Glória, Rio de Janeiro. Ouça a íntegra do áudio clicando aqui e, a seguir, o texto completo do trabalho.

 

Mister Clay, disse Elishama, ouviu uma história ser  contada…   Ele não gosta de fingimentos, não  gosta de profecias, gosta dos fatos. Está  determinado a fazer com que a história aconteça na vida real, com gente de verdade.

 

Karen Blixen| A história imortal

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

não eu não como peixe não eu não tenho alergia sim já comi peixe sim sempre as quintas-feiras não nunca passei mal sim minha mãe me obrigava a comer peixe as quintas-feiras não não gostava do sol na feira não nunca engasguei com as espinhas sim já tive peixinho vermelho sim ele saltou no chão sim aprendi a colocar minhoca no anzol sim já fui pescar com meu pai não ele não usava anzol sim era pequena sim meu pai tecia a tarrafa não não sei fazer os nós do meu pai sim os peixes brilham no escuro sim pai os peixes foram nadar   

 

 

ZUADA 

 

 

não foi Lucas que morreu no mar  homem netuno terra neoprene negro  a ele perguntei  não se morre mais no mar  semana passada um pescador velho  ele disse já não pescava e foi  morrer no mar  restaram o filho e o neto e mais um ou dois amigos  outro dia  outro pescador  rolando a jangada  me disse  avô e pai afogado o nome  neguinho não queria ir pescava ali mesmo de tarrafa já era velho foi com o filho e o nome do filho não sabia mas era de redonda  praia de pescador

 

ouvi macário que perdeu e encontrou o pai no mar         

 

macário     a história foi assim o meu pai toda vida pescou da idade de criança ele começou a pescar ele já tinha 80 e tantos anos sempre nós dava um conselho a ele pra ele não ir pesca por causa da idade já ter chegado só que ele gostava de ir e todo mundo aqui sabia que o homem mais pescador que tinha era ele porque na idade dele ninguém num pescava mais  katia qual era o nome dele? macário seu tico mas o nome dele era seu francisco a gente sempre dava confiança que ele só gostava de ir mais eu  sou o filho dele ele só gostava de ir mais comigo sempre eu dava conselho papai com a idade dessa não precisa mais pescar não  mas ele gostava de pescar  e nesse dia nós fomu deixar o manzuá você sabe aquelas cangaia que a gente chama a gente chama manzuá      naquele dia deixemo lá    aí fumo de pescar atissemo o barco e fumo eu esse meu menino ele e outro rapaz chamado hamilton wagner hamilton o pescador da gente nós quatro macário cheguemo lá aí demo a primeira puxada tiremo foi lagosta nesse dia  aí quando foi noutro dia todo mundo brincando animado jantemo quando foi um bocado da noite sete hora da noite  aí fui dormir  eu dormia mais em cima  esse menino dormia mais no meio a lanchinha lá era pequena 8 metro mais ou meno eram dois belichezinhos  ele durmia num e o outro pescador durmia noutro meu pai dormia mais embaixo  porque lá era quente meu pai era friento dormia lá na quentura wagner  gostava de dormir nesse canto macário quando nós tava dormindo quando foi umas 12 hora da noite eu acordei n’água vi foi aquele estalo já acordei já virado o barco wagner quando o barco virou o primeiro a sair foi eu aí na hora que eu saí eu olhei eu gritei papai de um jeito medonho papai aí quando eu boiei demoro demoro papai boiou aqui bem pertinho deu o papai vovô ó papai meu filho papai boto a mão na cabeça macário o barco já tava afundando wagner ficou só com o bico do lado de fora na hora que eu chamei nem lembrei do outro pescador me lembrei do vovô que como ele tava não tinha como sair nós tinha que tira ele mas só que a lancha não subiu não a lancha desceu macário  a lancha não demoro em cima não nem dois minuto wagner aí eu pai pai vamo tira vovô vamo tira vamo   macário menino a lancha num aguenta não  só deus que vai cuida da alma de papai de noite no escuro o barco afundando aí nos fumo tentar de um jeito que nós se salvava wagner é os três macário aí eu saí por cima o barco virado quando eu cheguei na proa do barco o outro pescador já tava lá  o nome dele é hamilton eu digo hamilton tu arranca aí ao menos dois tambor os tambor que a gente butava água de 50 litros  wagner  os tambor foi o que salvou a gente  macário  por deus que os tambor num tava bem amarrado tava só com a corda de banda quando o barco já foi afundando ele arrancou dois hamilton vê se tu arranca o outro aí ele arrancou o outro o de óleo ainda tava cheio aí fiquemo com os três tambor na hora que nós tiremo os tambor o barco já foi afundou  assim com um barravento de nós tinha um compadre meu que tava à mais ou menos uns 3 km em peroba ele tava por riba de nós aí nós viu o fogo dele e fumo tentar de ir até lá  levando os tambor o vento muito duro e a maré corria muito que aí pra cima  a maré corre muito pra dentro aí fumo tentar de ir lá presse barco nademo umas três horas pra ve se ia lá e não fumo wagner  o barco quanto mais nós nadava ele ia mais macário parecia que o barco ia mais adiantando wagner adiantando pra fora macário aí eu disse hamilton rapaz nós tamo nadando em vão véi  porque quando no outro dia de acontece  isso oescurecer eu tinha avistado outro barco lá por fora longe nós viu o fogo dele de noite aí rapaz vamo tentar de ir naquele fogo mas com a maré mais enchente a maré corria muito vazante a maré corria muito pra fora vamo tentar de ir lá   outro rumo já deixemo aquele barco fomo pra outro rumo  wagner contramaré  nós fomu contramaré    porque nós ia morre nós ia morre mais ligero  macário aí se mandemo nadando nadando  a barra do dia já vinha querendo amanhecer  esse menino começou a se atrasar de nós de longe ele gritou papai va se embora papai pode deixar eu aqui  pode ir se embora deixe eu aqui meu filho jamais eu vou fazer isso  já perdi meu pai na situação que já tinha perdido ainda mais vou perder um filho assim olhando pra ele a situação dessa jamais vou deixar um filho meu se acabar sozinho aqui  se ele se acabar acaba mais eu afunda mais eu   fiquei nadando perto dele    aí fui dando força a ele o hamilton tava mais na frente  wagner  nós dizendo hamilton vem pra cá  e ele dizendo bora vaguinho macário ele aqui é meio atrasado porque ele tem um problema nas pernas eu disse tem que ter fé em deus meu filho  tu tem duas filhas pra tu cria   tu ainda vai trabalhar muito pra tu cria tuas filhas wagner tava amanhecendo macário   já vinha amanhecendo o dia wagner papai dizia direto uma luz vai salvar nós   macário   quando o dia amanheceu ninguém viu mais o barco que nós ia a procura wagner só água e céu lá fora macário aí eu digo hamilton meu velho nós tamo nadando em vão  o que nós temo que fazer é descer na barriga do mar porque pra lá adonde nós tava pescando tinha uns bote lá daqui a gente imaginava de pegar um bote que vai e vem todo dia aí descendo a barriga do mar arrastando quando o dia amanheceu apareceu um peixe a gente chama ele de piolho a gente chama ele lero é o que pega debaixo do barco que aprega aí eu disse pro pescador assim tu tá vendo esse peixe aí?  tu tá vendo esse peixe que taí a redor?  o piolho é bem verdinho hamilton isso aí foi um anjo que deus mandou pro arredor de nós  pra donde nós ia ele saía brincando ele arrodeava fazia um círculo é pequeninho bem verdinho o peixe  nós nadando e ele acompanhando umas 8 horas do dia aí as pernas desse menino travou  não conseguiu mais nadar wagner consegui mais não macário  antes do dia amanhecer nós passemo por umas boia umas boia é o material dos bote que a gente chama cangaia   a gente  deixa lá e que pega lagosta eu disse pro hamilton rapaz vamo fica aqui que os bote vem e pega esse material ele  vê nós aqui é mais fácil de nós se salva  foi o que o cara fez o hamilton pegou amarrou o tambor na boia e nós saimo nadando devagarzinho a maré atrás de nós pra baixo nós ficamo assim uns 50 metro aí não conseguiu mais tirar o tambor eu digo amigo deixa o tambor aí e vem pra cá macho porque se nós vai se salva vai se salva com esses dois aí nós fiquemo com os dois tambor  ele levava um  ele levava outro aí fiquemo agarrado nos dois tambor nós três macário aí  umas oito horas do dia esse menino começou as pernas dele travar aí não conseguimo mais nadar  o  que nós fizemo o tambor que nós levava tinha um pedaço de corda eu amarrei uma corda pro outro tambor atravessemo ele butemo ele por dentro da corda e os dois tambor ficou aguentando ele assim wagner o outro cara de um lado e o papai do outro arrastando ele pra baixo macário quando foi umas 11 horas do dia lá vem um barco pra fora mas um barco passando   de nós uns 500m gritemo mas o barco funcionando é difícil demais de vê  o barco passou perto de nós rebola a água assim pra cima pra ve se o barco via vimo os bote as vela dos bote quando chegou assim uns 5 minuto o barco fico lá por fora  ficou de banda o hamilton disse negão eu vou lá naquele barco macho    eu disse hamilton rapaz tu não vai tu não vai que aquele barco ali é de marambaia  ele vai pegar a caída de marambaia vai pra fora   tu vai ficar lá sozinho  wagner   sem tambor e vai perder o rumo de nós  macário vai perder o rumo macho não vai não  ele tirou tirou tirou tirou foi assim uns 5 minutos aí nós vimo o grito dele gritando de longe nós respondemo  ele voltou quando chegou lá o barco foi andando pra fora comé que ele ia pegar  aí ele voltou aí fiquemo nós três era umas 11 hora do dia já  lá vem nós lá vem nós lá vem nós passemo por umas boia por uns bote  de onde nós tava não via a terra não nós tinha nadado tanto que a terra tava bem alta já lá prumas 12 horas avistemo uma

 

ZUADA      

 

meu menino aqui  o vento abrandou  acalmou o mar  o meu menino papai  é uma zuada é um barco zuada do motô  lá vem a zuada lá vem a zuada menino   é uma jangada jangada de marambaia  aí nós  rapaz é uma jangada aí quando chegou assim uns 500 metros ela parou o motor ficou trabalhando essa jangada o cara disse a nós parecia uma coisa assim que deus tava dizendo a ele vai praí  vai pra aquela ponta ali que ali tem três alma pra tu salva       a jangada era de manzuá material que nós pesca eu disse pro hamilton rapaz olha essa jangada bem aí ó mano essa jangada  que vai salvar nós macho é porque ele é um cara grande ele tem mais resistência e ele nada muito  wagner   ele nada muito ele não tem medo não    macário  ele disse negão rapaz mas eu vo lá lá nessa jangada quem pode ir é tu macho porque tu que tá mais inteiro tu que vai salvar nós eu dizendo a ele aí ele foi foi aí sumiu quando chego lá a jangada tava pegando um manzuá nós dizia que a jangada tava  mergulhando nas marambaia pra terra  mas só que o que tava pegando era um manzuá   aí quando terminou a fila hamilton viu que a jangada passou dele aí ele voltou ele ficou assim perto uns 30 metro por cima  negão rapaz a jangada é de marambaia foi pra terra marambaia foi pra terra mergulhando assim pertinho os botes pra peroba  num instante apareceu uma luz essa luz vai vir pra nos salva nós perto de terra tinha umas 3 boias uma vez 9 lagostas outra vez 6 e a outra vez 2 contagem do pescador manzuá  rapaz parece que um manzuá aqui tem lagosta bora  tinha duas filas aí ele foi pegar a outra fila mais por baixo essa vez que ele veio mais por baixo veio mais perto de nós  assim uns 300 metro    ela tava longe ainda hamilton essa jangada mais perto de nós ficou ainda macho tá vendo aí negão vai salvar a nós   tu pensa nas tuas filhas ficou pensando ficou assim uns 5 minuto   aí disse negão agora eu vou se mando contramaré aí a jangada o cara pegando material pra terra e ele acompanhando o barco gritando demais    aí quando ele se sumiu  ainda ouvi o grito dele  eu disse  meu deus olhava assim pro céu e dizia meu deus eu aqui tô longe desse jeito mas to vendo o grito de hamilton e essa jangada não tá vendo o grito mas aí como é que o cara vê o grito se tinha o moto da zuada o cara continua trabalhando ele grito grito de novo tem o pescador e tem o mestre o pescado ouviu um grito  primeiro grito ficou na dele não disse nada pra não dizer o mestre  ele queria saber da certeza para ele dizer o umberto hamilton grito de novo o pescador ouviu aí ele disse pro umberto ei mano aí rapaz eu to vendo um grito uma pessoa gritando aí você tá ouvindo grito macho tá endoidando o outro pescador dizendo  grito macho to vendo um grito macho eu vi um grito aí vai o umberto paro o motor pra ter certeza que tinha uma pessoa gritando paro o moto deixo o moto parado o cara gritou  não tô dizendo rapaz aí o umberto ouviu o grito tô dizendo lá tem naufragado macho eles funcionaram o barco e saíram a procura dele   o hamilton vinha tão preto do sol  os cara aqui do nosso lugar não reconheceu   aí  rapaz é hamilton  o cara da redonda botaram ele aqui em cima   o que foi que aconteceu hamilton rapaz foi o barco do negão que se virou e o pai dele morreu e eles andam aí lá   wagner era pra eles ter vindo mas na cabeça deles    macário quando eles botaram o cara em cima ainda foram avisar o bote que tinha lá há uns quinhento metros pra riba ele foi deixar o cara lá no bote e nosso desespero foi aí  rapaz a jangada não pegou hamilton não mas sempre ele dizia papai ele pegou hamilton eu digo pegou não se ele tivesse pegado hamilton ele ia logo procurar nós  eu tinha essa cabeça  ele vinha logo procurar os dois caras que vinham naufragado  wagner   pai ele pegou hamilton porque hamilton parou de gritar hamilton morreu falou assim se não morreu porque ele parou de gritar e eu vi quando a jangada foi atrás do bote   hamilton tá com mais de cinco minutos parou de gritar   macário ele pegou o bote né  o bote veio descendo foi passando assim pros bote acolá por fora nosso desespero foi aí  disse o rapaz tá vendo aí vaguinho nossa salvação vem aí e não vê nós esse bote vai o vaguinho o cara que tinha pegado o rapaz aí o cara lá vem a jangada pra cima de nós tá vendo papai que o hamilton pegou a jangada  lá vem a jangada aí quando eles pegaram nós meu desespero foi aí eu comecei logo a chorar wagner na hora que o bote já viu nós e os tambor mas já tinha visto os tambor de longe ele já foi pegando nós

 

 

macário mas por deus que nós teve muita ajuda né  as comunidades de cima de icapuí  de quitera melancia  tremendé  os caras lá deram um barco pra ir a procura do meu pai a minha preocupação é que eu queria tirar ao menos o corpo do véio que tava lá no fundo do mar      wagner só quem tirava era ele era papai só papai   quem sabia  macário  veio a marinha bombeiros de fortaleza   pra ver se ia encontrar o corpo do meu pai quando cheguemo na marcação o bombeiro desceu   naquelas garrafas que desce aqui nas costas    eles não só descia um pertinho do outro não saía um de perto do outro era amarrado um perto do outro  era bem umas três horas da tarde nós amarremo uma corda nele ali no barco e  a corda esticou mais de cem metros pra baixo o bombeiro achou uma panela e um pacote de macarrão wagner  a panela da lancha  Macário   vai deixando um risco  voltaram e disse rapaz eu achei uma panela e um pacote de macarrão só que o bote quebro a amarra não fico no canto na hora que afundou foi noutro dia o bote quebro  a amarra a lancha lanchinha saiu descendo  aí viemo simbora não achemo não quando foi noutro dia montaram uns barcos lá de tremendé melancia e foram quando nós cheguemo lá já tinha três barco procurando com nós fazia quatro cheguemo lá na marcação o cara achou o ferro  da lancha  adonde ela virou  nós vamo achar vamo acha     chegou lá pruns 500 metros   desceu desceu desceu aí viu o risco adonde ele passou o barco subiu o cara gritou no rádio pros outro barco que o cara tinha visto o rastro da lancha onde tinha passado  chamou os cara pra lá pra caçar de novo  e esse mesmo cara que viu os rastros aí desceu   o cara não correu 50 metros achou o barco  agora pra tirar o corpo do veio só os bombeiros que têm esse procedimento de tirar ele lá de baixo aí nós cheguemo lá no barco e os bombeiro desceu de lá de cima do mar nós viu o barco lá embaixo o barquinho era branco a gente via a sombra dele lá de cima    o bombeiro desceu quando chegou lá  entrou pra dentro ele tava enganchado o corpo do véio tava enganchado tinha uma tábua empatando dele de sair  o bombeiro desceu e subiu com o corpo dele todo deformado já fazia quatro dias  wagner trouxemo pro seco era o que ele queria  macário eu fiquei feliz demais pelo meno a gente sabe adonde ele tá sepultado  e se nós não tivesse encontrado o corpo dele imagina como tinha ficado macário   fizeram as contas o cara quando achou nós duas horas da tarde nós nademo quinze hora  wagner  o cara da marinha fez a conta o cara da marinha disse que nós éramos heróis   katia   quem estava na terra não achou que vocês já deveriam ter voltado  wagner   não porque nós vamo pra passar seis dia  nós já tava com dois dias no mar macário não tinha como ninguém sabe     katia tinha muita onda naquela noite macário   não o vento tava normal  katia   veio só uma onda  macário   só uma onda wagner   ele tava animado nós tava animado e nos conversava com ele quando foi nesse dia antes dele virar nós comemo um pirão nós tínhamos pegado umas lagostas ele animado vô vou salgar esse cangulo aqui ele disse que eu tinha a mão muito bichada que ele gostava de cangulo ele tinha a mão muito pesada pra peixe ele só comia comida do mar mesmo porque ele era fã do mar ele era fã do mar o veio  katia   ele foi pescador a vida toda wagner   a vida toda  ele comeu dois patola que a gente chama patola é um   macário   siri  wagner   siri que a gente pega ele era fã ele comeu esses dois e comeu uma lagosta  aí o peixe que ele ia comer que ele tava com vontade de comer ele não comeu vô você não vai comer não o cangulo vou não to com a barriga cheia quando foi de tardezinha ele sentado olhando pro mar me lembro como se fosse hoje ele olhando pro mar eu de lá sentava sempre perto dele que eu conversava muito com ele vô   cê ta olhando tanto pro mar lembrando de terra né    macário pois é nossa história foi essa aí seu tico mas o nome dele era francisco   katia   o nome do meu pai também é francisco    macário   meu nome é de promessa  dizem que é o nome de um santo  dom macário    katia   e o nome todo ?    macário macário silvério silva

 

 

 

eu sei pai você me disse que vem uma onda de cada vez não consigo colocar um pé de cada lado da canoa pai balança que nem rede o fundo da canoa tem lodo enjoo com o cheiro do peixe estou de vestido vou afundar pai estou olhando para baixo tentando não virar a água treme na lama da canoa a cor não é do mar pode remar pai pode remar

 

 

 

 

Mas e você, vai se afogar, Paul? disse ela

“Não”, disse ele. “Talvez não. Mas já fiquei me perguntando um monte de vezes no que meu pai pensava quando o mar finalmente o levou, para todo sempre.”

Karen Blixen | A história imortal

 

 

 

 

 

 

 

não eu não como peixe não eu não tenho alergia sim já comi peixe sim sempre as quintas-feiras não nunca passei mal sim minha mãe me obrigava a comer peixe as quintas-feiras não não gostava do sol na feira não nunca engasguei com as espinhas sim já tive peixinho vermelho sim ele saltou no chão sim aprendi a colocar minhoca no anzol sim já fui pescar com meu pai não ele não usava anzol sim era pequena sim meu pai tecia a tarrafa não não sei fazer os nós do meu pai sim os peixes brilham no escuro sim pai os peixes foram nadar   

 

 

ZUADA 

 

 

não foi Lucas que morreu no mar  homem netuno terra neoprene negro  a ele perguntei  não se morre mais no mar  semana passada um pescador velho  ele disse já não pescava e foi  morrer no mar  restaram o filho e o neto e mais um ou dois amigos  outro dia  outro pescador  rolando a jangada  me disse  avô e pai afogado o nome  neguinho não queria ir pescava ali mesmo de tarrafa já era velho foi com o filho e o nome do filho não sabia mas era de redonda  praia de pescador

 

ouvi macário que perdeu e encontrou o pai no mar         

 

macário     a história foi assim o meu pai toda vida pescou da idade de criança ele começou a pescar ele já tinha 80 e tantos anos sempre nós dava um conselho a ele pra ele não ir pesca por causa da idade já ter chegado só que ele gostava de ir e todo mundo aqui sabia que o homem mais pescador que tinha era ele porque na idade dele ninguém num pescava mais  katia qual era o nome dele? macário seu tico mas o nome dele era seu francisco a gente sempre dava confiança que ele só gostava de ir mais eu  sou o filho dele ele só gostava de ir mais comigo sempre eu dava conselho papai com a idade dessa não precisa mais pescar não  mas ele gostava de pescar  e nesse dia nós fomu deixar o manzuá você sabe aquelas cangaia que a gente chama a gente chama manzuá      naquele dia deixemo lá    aí fumo de pescar atissemo o barco e fumo eu esse meu menino ele e outro rapaz chamado hamilton wagner hamilton o pescador da gente nós quatro macário cheguemo lá aí demo a primeira puxada tiremo foi lagosta nesse dia  aí quando foi noutro dia todo mundo brincando animado jantemo quando foi um bocado da noite sete hora da noite  aí fui dormir  eu dormia mais em cima  esse menino dormia mais no meio a lanchinha lá era pequena 8 metro mais ou meno eram dois belichezinhos  ele durmia num e o outro pescador durmia noutro meu pai dormia mais embaixo  porque lá era quente meu pai era friento dormia lá na quentura wagner  gostava de dormir nesse canto macário quando nós tava dormindo quando foi umas 12 hora da noite eu acordei n’água vi foi aquele estalo já acordei já virado o barco wagner quando o barco virou o primeiro a sair foi eu aí na hora que eu saí eu olhei eu gritei papai de um jeito medonho papai aí quando eu boiei demoro demoro papai boiou aqui bem pertinho deu o papai vovô ó papai meu filho papai boto a mão na cabeça macário o barco já tava afundando wagner ficou só com o bico do lado de fora na hora que eu chamei nem lembrei do outro pescador me lembrei do vovô que como ele tava não tinha como sair nós tinha que tira ele mas só que a lancha não subiu não a lancha desceu macário  a lancha não demoro em cima não nem dois minuto wagner aí eu pai pai vamo tira vovô vamo tira vamo   macário menino a lancha num aguenta não  só deus que vai cuida da alma de papai de noite no escuro o barco afundando aí nos fumo tentar de um jeito que nós se salvava wagner é os três macário aí eu saí por cima o barco virado quando eu cheguei na proa do barco o outro pescador já tava lá  o nome dele é hamilton eu digo hamilton tu arranca aí ao menos dois tambor os tambor que a gente butava água de 50 litros  wagner  os tambor foi o que salvou a gente  macário  por deus que os tambor num tava bem amarrado tava só com a corda de banda quando o barco já foi afundando ele arrancou dois hamilton vê se tu arranca o outro aí ele arrancou o outro o de óleo ainda tava cheio aí fiquemo com os três tambor na hora que nós tiremo os tambor o barco já foi afundou  assim com um barravento de nós tinha um compadre meu que tava à mais ou menos uns 3 km em peroba ele tava por riba de nós aí nós viu o fogo dele e fumo tentar de ir até lá  levando os tambor o vento muito duro e a maré corria muito que aí pra cima  a maré corre muito pra dentro aí fumo tentar de ir lá presse barco nademo umas três horas pra ve se ia lá e não fumo wagner  o barco quanto mais nós nadava ele ia mais macário parecia que o barco ia mais adiantando wagner adiantando pra fora macário aí eu disse hamilton rapaz nós tamo nadando em vão véi  porque quando no outro dia de acontece  isso oescurecer eu tinha avistado outro barco lá por fora longe nós viu o fogo dele de noite aí rapaz vamo tentar de ir naquele fogo mas com a maré mais enchente a maré corria muito vazante a maré corria muito pra fora vamo tentar de ir lá   outro rumo já deixemo aquele barco fomo pra outro rumo  wagner contramaré  nós fomu contramaré    porque nós ia morre nós ia morre mais ligero  macário aí se mandemo nadando nadando  a barra do dia já vinha querendo amanhecer  esse menino começou a se atrasar de nós de longe ele gritou papai va se embora papai pode deixar eu aqui  pode ir se embora deixe eu aqui meu filho jamais eu vou fazer isso  já perdi meu pai na situação que já tinha perdido ainda mais vou perder um filho assim olhando pra ele a situação dessa jamais vou deixar um filho meu se acabar sozinho aqui  se ele se acabar acaba mais eu afunda mais eu   fiquei nadando perto dele    aí fui dando força a ele o hamilton tava mais na frente  wagner  nós dizendo hamilton vem pra cá  e ele dizendo bora vaguinho macário ele aqui é meio atrasado porque ele tem um problema nas pernas eu disse tem que ter fé em deus meu filho  tu tem duas filhas pra tu cria   tu ainda vai trabalhar muito pra tu cria tuas filhas wagner tava amanhecendo macário   já vinha amanhecendo o dia wagner papai dizia direto uma luz vai salvar nós   macário   quando o dia amanheceu ninguém viu mais o barco que nós ia a procura wagner só água e céu lá fora macário aí eu digo hamilton meu velho nós tamo nadando em vão  o que nós temo que fazer é descer na barriga do mar porque pra lá adonde nós tava pescando tinha uns bote lá daqui a gente imaginava de pegar um bote que vai e vem todo dia aí descendo a barriga do mar arrastando quando o dia amanheceu apareceu um peixe a gente chama ele de piolho a gente chama ele lero é o que pega debaixo do barco que aprega aí eu disse pro pescador assim tu tá vendo esse peixe aí?  tu tá vendo esse peixe que taí a redor?  o piolho é bem verdinho hamilton isso aí foi um anjo que deus mandou pro arredor de nós  pra donde nós ia ele saía brincando ele arrodeava fazia um círculo é pequeninho bem verdinho o peixe  nós nadando e ele acompanhando umas 8 horas do dia aí as pernas desse menino travou  não conseguiu mais nadar wagner consegui mais não macário  antes do dia amanhecer nós passemo por umas boia umas boia é o material dos bote que a gente chama cangaia   a gente  deixa lá e que pega lagosta eu disse pro hamilton rapaz vamo fica aqui que os bote vem e pega esse material ele  vê nós aqui é mais fácil de nós se salva  foi o que o cara fez o hamilton pegou amarrou o tambor na boia e nós saimo nadando devagarzinho a maré atrás de nós pra baixo nós ficamo assim uns 50 metro aí não conseguiu mais tirar o tambor eu digo amigo deixa o tambor aí e vem pra cá macho porque se nós vai se salva vai se salva com esses dois aí nós fiquemo com os dois tambor  ele levava um  ele levava outro aí fiquemo agarrado nos dois tambor nós três macário aí  umas oito horas do dia esse menino começou as pernas dele travar aí não conseguimo mais nadar  o  que nós fizemo o tambor que nós levava tinha um pedaço de corda eu amarrei uma corda pro outro tambor atravessemo ele butemo ele por dentro da corda e os dois tambor ficou aguentando ele assim wagner o outro cara de um lado e o papai do outro arrastando ele pra baixo macário quando foi umas 11 horas do dia lá vem um barco pra fora mas um barco passando   de nós uns 500m gritemo mas o barco funcionando é difícil demais de vê  o barco passou perto de nós rebola a água assim pra cima pra ve se o barco via vimo os bote as vela dos bote quando chegou assim uns 5 minuto o barco fico lá por fora  ficou de banda o hamilton disse negão eu vou lá naquele barco macho    eu disse hamilton rapaz tu não vai tu não vai que aquele barco ali é de marambaia  ele vai pegar a caída de marambaia vai pra fora   tu vai ficar lá sozinho  wagner   sem tambor e vai perder o rumo de nós  macário vai perder o rumo macho não vai não  ele tirou tirou tirou tirou foi assim uns 5 minutos aí nós vimo o grito dele gritando de longe nós respondemo  ele voltou quando chegou lá o barco foi andando pra fora comé que ele ia pegar  aí ele voltou aí fiquemo nós três era umas 11 hora do dia já  lá vem nós lá vem nós lá vem nós passemo por umas boia por uns bote  de onde nós tava não via a terra não nós tinha nadado tanto que a terra tava bem alta já lá prumas 12 horas avistemo uma

 

ZUADA      

 

meu menino aqui  o vento abrandou  acalmou o mar  o meu menino papai  é uma zuada é um barco zuada do motô  lá vem a zuada lá vem a zuada menino   é uma jangada jangada de marambaia  aí nós  rapaz é uma jangada aí quando chegou assim uns 500 metros ela parou o motor ficou trabalhando essa jangada o cara disse a nós parecia uma coisa assim que deus tava dizendo a ele vai praí  vai pra aquela ponta ali que ali tem três alma pra tu salva       a jangada era de manzuá material que nós pesca eu disse pro hamilton rapaz olha essa jangada bem aí ó mano essa jangada  que vai salvar nós macho é porque ele é um cara grande ele tem mais resistência e ele nada muito  wagner   ele nada muito ele não tem medo não    macário  ele disse negão rapaz mas eu vo lá lá nessa jangada quem pode ir é tu macho porque tu que tá mais inteiro tu que vai salvar nós eu dizendo a ele aí ele foi foi aí sumiu quando chego lá a jangada tava pegando um manzuá nós dizia que a jangada tava  mergulhando nas marambaia pra terra  mas só que o que tava pegando era um manzuá   aí quando terminou a fila hamilton viu que a jangada passou dele aí ele voltou ele ficou assim perto uns 30 metro por cima  negão rapaz a jangada é de marambaia foi pra terra marambaia foi pra terra mergulhando assim pertinho os botes pra peroba  num instante apareceu uma luz essa luz vai vir pra nos salva nós perto de terra tinha umas 3 boias uma vez 9 lagostas outra vez 6 e a outra vez 2 contagem do pescador manzuá  rapaz parece que um manzuá aqui tem lagosta bora  tinha duas filas aí ele foi pegar a outra fila mais por baixo essa vez que ele veio mais por baixo veio mais perto de nós  assim uns 300 metro    ela tava longe ainda hamilton essa jangada mais perto de nós ficou ainda macho tá vendo aí negão vai salvar a nós   tu pensa nas tuas filhas ficou pensando ficou assim uns 5 minuto   aí disse negão agora eu vou se mando contramaré aí a jangada o cara pegando material pra terra e ele acompanhando o barco gritando demais    aí quando ele se sumiu  ainda ouvi o grito dele  eu disse  meu deus olhava assim pro céu e dizia meu deus eu aqui tô longe desse jeito mas to vendo o grito de hamilton e essa jangada não tá vendo o grito mas aí como é que o cara vê o grito se tinha o moto da zuada o cara continua trabalhando ele grito grito de novo tem o pescador e tem o mestre o pescado ouviu um grito  primeiro grito ficou na dele não disse nada pra não dizer o mestre  ele queria saber da certeza para ele dizer o umberto hamilton grito de novo o pescador ouviu aí ele disse pro umberto ei mano aí rapaz eu to vendo um grito uma pessoa gritando aí você tá ouvindo grito macho tá endoidando o outro pescador dizendo  grito macho to vendo um grito macho eu vi um grito aí vai o umberto paro o motor pra ter certeza que tinha uma pessoa gritando paro o moto deixo o moto parado o cara gritou  não tô dizendo rapaz aí o umberto ouviu o grito tô dizendo lá tem naufragado macho eles funcionaram o barco e saíram a procura dele   o hamilton vinha tão preto do sol  os cara aqui do nosso lugar não reconheceu   aí  rapaz é hamilton  o cara da redonda botaram ele aqui em cima   o que foi que aconteceu hamilton rapaz foi o barco do negão que se virou e o pai dele morreu e eles andam aí lá   wagner era pra eles ter vindo mas na cabeça deles    macário quando eles botaram o cara em cima ainda foram avisar o bote que tinha lá há uns quinhento metros pra riba ele foi deixar o cara lá no bote e nosso desespero foi aí  rapaz a jangada não pegou hamilton não mas sempre ele dizia papai ele pegou hamilton eu digo pegou não se ele tivesse pegado hamilton ele ia logo procurar nós  eu tinha essa cabeça  ele vinha logo procurar os dois caras que vinham naufragado  wagner   pai ele pegou hamilton porque hamilton parou de gritar hamilton morreu falou assim se não morreu porque ele parou de gritar e eu vi quando a jangada foi atrás do bote   hamilton tá com mais de cinco minutos parou de gritar   macário ele pegou o bote né  o bote veio descendo foi passando assim pros bote acolá por fora nosso desespero foi aí  disse o rapaz tá vendo aí vaguinho nossa salvação vem aí e não vê nós esse bote vai o vaguinho o cara que tinha pegado o rapaz aí o cara lá vem a jangada pra cima de nós tá vendo papai que o hamilton pegou a jangada  lá vem a jangada aí quando eles pegaram nós meu desespero foi aí eu comecei logo a chorar wagner na hora que o bote já viu nós e os tambor mas já tinha visto os tambor de longe ele já foi pegando nós

 

 

macário mas por deus que nós teve muita ajuda né  as comunidades de cima de icapuí  de quitera melancia  tremendé  os caras lá deram um barco pra ir a procura do meu pai a minha preocupação é que eu queria tirar ao menos o corpo do véio que tava lá no fundo do mar      wagner só quem tirava era ele era papai só papai   quem sabia  macário  veio a marinha bombeiros de fortaleza   pra ver se ia encontrar o corpo do meu pai quando cheguemo na marcação o bombeiro desceu   naquelas garrafas que desce aqui nas costas    eles não só descia um pertinho do outro não saía um de perto do outro era amarrado um perto do outro  era bem umas três horas da tarde nós amarremo uma corda nele ali no barco e  a corda esticou mais de cem metros pra baixo o bombeiro achou uma panela e um pacote de macarrão wagner  a panela da lancha  Macário   vai deixando um risco  voltaram e disse rapaz eu achei uma panela e um pacote de macarrão só que o bote quebro a amarra não fico no canto na hora que afundou foi noutro dia o bote quebro  a amarra a lancha lanchinha saiu descendo  aí viemo simbora não achemo não quando foi noutro dia montaram uns barcos lá de tremendé melancia e foram quando nós cheguemo lá já tinha três barco procurando com nós fazia quatro cheguemo lá na marcação o cara achou o ferro  da lancha  adonde ela virou  nós vamo achar vamo acha     chegou lá pruns 500 metros   desceu desceu desceu aí viu o risco adonde ele passou o barco subiu o cara gritou no rádio pros outro barco que o cara tinha visto o rastro da lancha onde tinha passado  chamou os cara pra lá pra caçar de novo  e esse mesmo cara que viu os rastros aí desceu   o cara não correu 50 metros achou o barco  agora pra tirar o corpo do veio só os bombeiros que têm esse procedimento de tirar ele lá de baixo aí nós cheguemo lá no barco e os bombeiro desceu de lá de cima do mar nós viu o barco lá embaixo o barquinho era branco a gente via a sombra dele lá de cima    o bombeiro desceu quando chegou lá  entrou pra dentro ele tava enganchado o corpo do véio tava enganchado tinha uma tábua empatando dele de sair  o bombeiro desceu e subiu com o corpo dele todo deformado já fazia quatro dias  wagner trouxemo pro seco era o que ele queria  macário eu fiquei feliz demais pelo meno a gente sabe adonde ele tá sepultado  e se nós não tivesse encontrado o corpo dele imagina como tinha ficado macário   fizeram as contas o cara quando achou nós duas horas da tarde nós nademo quinze hora  wagner  o cara da marinha fez a conta o cara da marinha disse que nós éramos heróis   katia   quem estava na terra não achou que vocês já deveriam ter voltado  wagner   não porque nós vamo pra passar seis dia  nós já tava com dois dias no mar macário não tinha como ninguém sabe     katia tinha muita onda naquela noite macário   não o vento tava normal  katia   veio só uma onda  macário   só uma onda wagner   ele tava animado nós tava animado e nos conversava com ele quando foi nesse dia antes dele virar nós comemo um pirão nós tínhamos pegado umas lagostas ele animado vô vou salgar esse cangulo aqui ele disse que eu tinha a mão muito bichada que ele gostava de cangulo ele tinha a mão muito pesada pra peixe ele só comia comida do mar mesmo porque ele era fã do mar ele era fã do mar o veio  katia   ele foi pescador a vida toda wagner   a vida toda  ele comeu dois patola que a gente chama patola é um   macário   siri  wagner   siri que a gente pega ele era fã ele comeu esses dois e comeu uma lagosta  aí o peixe que ele ia comer que ele tava com vontade de comer ele não comeu vô você não vai comer não o cangulo vou não to com a barriga cheia quando foi de tardezinha ele sentado olhando pro mar me lembro como se fosse hoje ele olhando pro mar eu de lá sentava sempre perto dele que eu conversava muito com ele vô   cê ta olhando tanto pro mar lembrando de terra né    macário pois é nossa história foi essa aí seu tico mas o nome dele era francisco   katia   o nome do meu pai também é francisco    macário   meu nome é de promessa  dizem que é o nome de um santo  dom macário     katia   e o nome todo ?    macário macário silvério silva

 

 

 

eu sei pai você me disse que vem uma onda de cada vez não consigo colocar um pé de cada lado da canoa pai balança que nem rede o fundo da canoa tem lodo enjoo com o cheiro do peixe estou de vestido vou afundar pai estou olhando para baixo tentando não virar a água treme na lama da canoa a cor não é do mar pode remar pai pode remar

 

 

 

 

Mas e você, vai se afogar, Paul? disse ela

“Não”, disse ele. “Talvez não. Mas já fiquei me perguntando um monte de vezes no que meu pai pensava quando o mar finalmente o levou, para todo sempre.”

Karen Blixen | A história imortal